Sexta .NET – Aula 4 – Lógica de Programação II

Boa noite pessoal,

Aqui segue mais uma aula do Sexta .NET.
Estarei mudando as formas de escrever aqui e aguardo feedback.
Ao invés de utilizar imagens estarei colocando blocos de código para que fique mais fácil caso queiram copiar algo pra efetuar testes.

Tópico abordado: Lógica de Programação II

Itens abordados:

  • Arrays
  • Enumeradores
  • Namespaces
  • Comentários
  • Estruturas
  • Tratamento de Exceções

ARRAY (VETORES)

Array é uma variável que permite o armazenamento de um bloco de um tipo particular de variáveis (int, string, object, bool…) na memória.
No C# os Arrays são indexados a partir de zero (0).
Não podem ter seu tamanho alterado depois de instanciados.

Para declarar um Array, basta adicionar um par de colchetes logo após a declaração do tipo dos elementos individuais

int[] meuVetorDeInteiros;
string[] meuVetorDeStrings;

Instanciando arrays

int[] codigos = new int[5];
string[] nomes = new string[100];
object[] produtos = new object[50];
int[] pedidos = {1, 4, 6, 8, 10, 68, 90, 98, 182, 500};

Preenchendo array

nomes[0] = “José”;
nomes[1] = “João”;

Podem ser:
Unidimensionais: array com uma chave.

int[] codigos = new int[5];
codigos[0] = 1;

ou

int[] codigos = {1,3,6,7,8};

Multidimensionais:
Retangular ou matriz: array com mais de uma chave.


int[,] codigos = new int[2,2];
codigos[0,0] = 11;

Jagged: array de arrays.

int[][] codigos = new int[2][];
codigos[0] = new int[2];
codigos[0][0] = 11;

ou
int[][] codigos = { new int[]{11,42}, new int[]{35,44} };

Definindo Tipos Enumeradores


enum TipoDiretor
{
Marketing,
RH,
Comercial,
Financeiro
}

... Dentro do evento Page_Load

// Instanciando
TipoDiretor tpDiretor = TipoDiretor.Comercial;

// Imprime ‘Comercial’
Response.Write(tpDiretor);

Namespaces

Declarando um namespace

namespace NomeEmpresa
{
public class Cliente{}
}

Namespaces em cadeia

namespace NomeEmpresa.Vendas
{
public class Cliente{}
}

Instrução Using

using System;
using System.Data;
using NomeEmpresa.Vendas;
using Pessoa = ClassLibrary.Pessoa;

Comentários
Criando comentários e regiões:

// Comentário de uma linha

/*
Comentário com
mais de uma linha
*/

///

/// Documentação XML
///

private int Atributo;

#region Região
private int Atributo1;
private int Atributo2;
#endregion

Pessoal, como o conteúdo de hoje é meio extenso e exige bastante treino da parte de vocês, vamos encerrar a aula por aqui.

Guardo para a próxima semana o início de uma nova fase do curso, uma área muito interessante de ser abordada: Orientação a Objeto – Parte I

Espero que gostem.
Até a próxima.

Novo site Zoosal (desenvolvimento de site)

Algumas semanas atrás informamos do sistema intranet que implantamos na empresa Zoosal, de Presidente Prudente e no final do post deixamos o seguinte recado:

-A empresa já planeja fechar futuramente mais alguns sistemas.

Pois bem, o que na época era apenas um comentário, acabou-se concretizando.

Em breve colocaremos o novo site deles no ar. Aguardem 😉

Sexta .NET – Aula 3 – Lógica de Programação

Continuando a aula anterior, apenas com um divisor de águas e facilitando para o pessoal que já conhece o Visual Studio aqui vai nossa aula de sexta.

Tipos de Dados

Variáveis Por Valor (Value Types)
Armazenado na memória Stack.
Trabalha com dados diretamente.
Não pode ser nulo.
Exemplo:
Inteiros
Decimais
Booleanos
Estruturas
Enumeradores

Por Referência (reference types)
Contém uma referência a um ponteiro na memória Heap.
Pode ser nulo
Exemplo:

  • Vetores
  • Textos
  • Instâncias de Classes
  • Classes

Boxing e Unboxing

int i = 123; // Tipo por valor
object O; // Tipo por referência
O = i; // Causa “boxing”
string S;
S = O.ToString() // Chama via O
int x;
x = (int) O; // Faz “unboxing”

Boxing e Unboxing

int i = 123; // Tipo por valor
object O;
O = i; // Causa “boxing”
string S; // Tipo por referência
S = O.ToString(); // Chama via O
int x;
x = (int) O; // Faz “unboxing”

OPERADORES

Estruturas de controle de fluxo

if … else if … else
A cláusula if ocorre apenas uma vez
A cláusula else if pode ocorrer nenhuma ou várias vezes
A cláusula else é opcional.

switch … case
Estruturas de decisão caracterizadas pela possibilidade de uma variável possuir vários valores.
A cláusula switch ocorre uma vez
A cláusula case pode ocorrer uma ou várias vezes
default é opcional.

for
Estrutura de repetição caracterizada pela existência de três parâmetros:
Valor inicial
Condição para parada das iterações
Quantidade de incrementos/decrementos a cada iteração

while
Estrutura de repetição que realiza as operações desejadas enquanto a condição especificada for verdadeira.

do … while
Estrutura de repetição semelhante à anterior, com o diferencial de que as condições são verificadas no final da execução
Permite que as operações especificadas sejam executadas pelo menos uma vez.
Necessita do caracter “;” no final da estrutura

foreach
Estrutura de repetição que é utilizada para percorrer coleções, ou seja, o laço de repetição continuará até que o último item da coleção seja testado.

Convertendo

Tratamento de Exceções

try … catch … finally

Por enquanto é só!
Na próxima sexta estaremos falando sobre: Lógica de Programação Parte II

Sexta .NET – Aula 2 – Visual Studio 2008

Boa tarde pessoal, é com grande prazer que venho aqui para publicar esta nova aula.

Como de costume, aqueles que quiserem depois o arquivo powerpoint para baixar, enviem um email para victor@webfinal.com.br
O conteúdo de hoje é meio pesado, então estou divididno em dois posts que serão vistos em:
Sexta .NET – Aula 2
Sexta .NET – Aula 3

Tópico abordado:

VISUAL STUDIO 2008

O que é o VISUAL STUDIO 2008?

Um conjunto de ferramentas de desenvolvimento que permite aos desenvolvedores de software resolver problemas complexos e criar soluções inovadoras.

Baseia-se em três pilares principais:

  • Desenvolvimento rápido de aplicativos
  • Colaboração eficaz em equipe
  • Experiências de usuário inovadoras

O que posso fazer com o VS 2008?

  • Desenvolver Web Site e Aplicações Web com ASP.NET, AJAX.NET e Silverlight.
  • Impressionar com mídia e gráficos desenvolvidos com o Windows Presentation Foundation.
  • Aplicativos que estendem funções do Office 2003 e 2007.
  • Aplicações para Windows Mobile.
  • Desenvolver soluções de integração coorporativa com Windows Communication Foundation e o Windows Workflow Foundation e muito mais…

Demonstração
Criando uma Solução

Criando a partir de templates
File > New > Project…

Interface Design

Interface Programação

Com base nisso, vamos para a próxima aula: Sexta .NET – Aula 3

Sexta .NET – Aula 1 – Introdução ao .Net Framework e CLR

Boa tarde pessoal!

Conforme prometido semana passada estamos dando início ao Sexta .NET com a primeira Aula.
Aqueles que quiserem depois o arquivo powerpoint para baixar, enviem um email para victor@webfinal.com.br

Tópico abordado:

Introdução ao .Net Framework e CLR

O que é O .NET FRAMEWORK?

O .NET Framework é um modelo de programação de código gerenciado da Microsoft para criar aplicativos em clientes, servidores e dispositivos móveis ou incorporados ao Windows.

  • Conjunto rico de bibliotecas com os mais variados usos;
  • Controle de versão: fim do “DLL Hell”;
  • Facilidade de desenvolvimento de aplicações desde as mais simples até as mais complexas;
  • Facilidade na instalação e na distribuição de aplicações;
  • Alta escalabilidade para ambientes de missão crítica;
  • Interoperabilidade entre plataformas e componentes desenvolvidos em outras linguagens .NET;
  • Sintonizado com as últimas tecnologias;
  • Orientada a objetos;
  • Tecnologia baseada em máquina virtual;

O que posso fazer com o .net?

O .NET permite desenvolver soluções como:

  • Aplicativos Web
  • Aplicativos para Servidores
  • Aplicativos Smart Client
  • Aplicativos de Console
  • Aplicativos de Banco de Dados
  • Serviços Windows
  • Web Services e muito mais

Inovações trazidas pelo .NET 3.5

.NET Framework 3.5 vem para incrementar as .NET Frameworks 2.0 e 3.0 com novos recursos em várias áreas de tecnologia. Entre eles, estão:

  • Profunda integração entre LINQ (consulta integrada à linguagem) e reconhecimento de dados.
  • Novas implementações ao ASP.NET AJAX.
  • Suporte completo para:
  • Windows Workflow Foundation (WF)
  • Windows Communication Foundation (WCF)
  • Windows Presentation Foundation (WPF)
  • Windows CardSpace
  • Novas classes na BCL (biblioteca de classes básicas) que vêm atender solicitações comuns entre os desenvolvedores.

Estrutura do .Net Framework

O QUE é CLR?

Common Language Runtime (CLR) é o componente encarregado de gerenciar aplicações desenvolvidas em .NET.
O compilador de cada linguagem segue uma série de especificações, conhecida como Common Language Infrastructure (CLI), para compilar seus códigos.
Estas especificações são abertas (ECMA-335, ISO/IEC 23271), assim permitem a interoperabilidade entre outras linguagens e plataformas. O que deu origem ao desenvolvimento, pela Novell, do Mono (Um CLR que opera também em Linux, BSD, UNIX, Mac OS X e Solaris).

Serviços Presentes no CLR

  • Serviços de gerenciamento de memória
  • Serviços de tratamento de exceções
  • Serviços de compilação
  • Serviços de segurança, etc.

CLR – Compilação

Visão Geral da Compilação

Código Managed X Unmanaged

Managed

  • Código Fonte
  • Compilador
  • Código Intermediário (IL): .DLL ou .EXE
  • Requer o ambiente CLR para executar
  • Código de Máquina (Binário)

Unmanaged

  • Código Fonte
  • Compilador
  • Código de Máquina (Binário)
  • NÃO requer o ambiente CLR para executar

Linguagens .Net

Microsoft Visual Basic.NET
Microsoft C#
Microsoft C++ (Gerenciado/Não-Gerenciado)
Microsoft J#

Outras:
http://www.dotnetlanguages.net
http://www.dotnetpowered.com

Próxima aula: Plataforma Visual Studio 2008

Aviso para quem tem site

Começamos a receber boleto de nossos dominios e nossos clientes também, no valor de 130,00 reais de um empresa denominada Brregistro.com.

Porém se você não hospeda o site com eles não é necessário pagar esse boleto, ano passado muita gente pagou essa fatura achando tratar-se do boleto do registro.br. Caso você tenha dúvidas ao receber boleto desse tipo. Entre em contato com o seu desenvolvedor para maiores informações.

EDIT: Segue abaixo 1 dos boletos que recebemos:

Segue um link da registro.br com os valores que ela cobra e maiores informações.

http://registro.br/info/boleto-malicioso.html

Att

Equipe WebFinal

Sexta .NET

Respeitável público informamos que teremos agora a “Sexta .NET”!

O que é isso?

Estaremos preparando para vocês um minicurso de .NET com C# abordando desde o básico até o nível mais avançado.
Será disponibilizado o material todas as sexta-feiras e conto com a colaboração de vocês!
Caso tenham algum tema que achem pertinentes e interessantes de se saber enviem um email para victor@webfinal.com.br que iremos preparar o conteúdo para vocês.

A princípio serão disponibilizandos Artigos e Apresentações PowerPowint com exercícios, caso vejamos que a galera está acessando com uma boa frequencia, poderei iniciar também a liberação de podcasts e screencasts.

Aguardamos a colaboração de todos e semana que vem já teremos a primeira aula!

O que teremos nesta aula?
Tópico abordado:
Introdução ao .Net Framework e CLR

Esperamos todos vocês aqui e enviem sugestões por email.

Abraços.

Diga não aos browsers antigos!

Esta campanha é uma iniciativa para excluir navegadores desatualizados do mapa da internet do Brasil. Basta inserir o código abaixo em todos os seus sites e de seus clientes. Desta forma, para todo usuário que acessá-los utilizando navegadores desatualizados, será exibida uma barra simples, sem marcas, orientando o usuário a atualizar o seu navegador e falando da importância desta atitude. Mais segurança para o usuário, mais liberdade aos desenvolvedores.

Faça a sua parte
Ajude a tornar a Internet ainda melhor. Divulgue em seu website a faixa da campanha, avise os amigos.
Cole o código na sua página
Lembre-se que a barra só é exibida para navegadores antigos.

Nós da WebFinal apoiamos esta campanha!

<script src=”http://imasters.uol.com.br/crossbrowser/fonte.js” type=”text/javascript”>
Para a inserção do código basta deixá-lo entre as tags <head> e </head> de seu site.

Já pensou em ter o Google Earth no seu site?

Ultimamente conseguimos ver vários sites institucionais que utilizam a API do Google Maps em suas páginas de contato para mostrar aos seus usuários de forma mais interativa qual a localização da empresa.

Mas que tal fazer isto de forma diferente e ainda melhor? Por que não utiliza o Google Earth?

Sim isto é possível!
Podemos abrir arquivos do Google Earth (*.kmz) usando o browser!

Para fazer tal façanha basta utilizar o plug-in do Google Earth e a API JavaScript, pois esses permitem incorporar o Google Earth, um verdadeiro globo digital em 3D, nas suas páginas da web. Usando a API, você pode desenhar marcadores e linhas, dispor imagens sobre a área, adicionar modelos em 3D ou carregar arquivos KML, permitindo criar aplicativos sofisticados para mapas em 3D. Se você tem um site de API do Google Maps, pode ativar 3D em sua página com uma única linha de código.

A API do Google Earth é um serviço beta gratuito, disponível para qualquer site que seja gratuito para os consumidores.

Mas por que eu usaria isto?

Pois assim você pode no próprio Google Earth fazer uma visualização personalizada e até rotas para sua empresa.
Feito isto pode salvar gerando o arquivo KMZ ou KML e depois basta utilizar a API de integração e ter sua localização personalizada e bem diferente dos demais concorrentes.

Vale a pena checar.
Mais informações de como utilizar podem ser verificadas em: http://code.google.com/intl/pt-BR/apis/earth/